Revisão

Dra. Marianne Rocha Nutricionista

Açaí é Remoso? | Dieta na tatuagem e cirurgia

O açaí está super na moda! Além de saborosa a fruta contém importantes nutrientes para o nosso corpo.

No entanto, quem fez tatuagem ou cirurgia tem dúvidas se o alimento atrapalha ou não na cicatrização da pele, afinal, será que açaí é remoso?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Sobre o açaí

O açaí é um fruto do açaizeiro, uma palmeira nativa da bacia amazônica. De fato, esta frutinha de cor violeta escuro, vem ganhando popularidade já algum tempo.

O motivo do sucesso, não se deve apenas ao sabor, mas também ao seu elevado teor em vitaminas, ácidos graxos e poderosos antioxidantes!

Açaí, nome científico: (Euterpe Oleracea Mart)

Açaí é remoso para tatuagem ou cirurgia?

Popularmente, os alimentos remosos são conhecidos por provocar alergias, piorar inflamações e dificultar a cicatrização da pele.

Por essa razão, acredita-se que eles devem ser evitados quando o corpo possui algum ferimento.

Segundo a cultura alimentar popular, em certos estados do organismo, vários alimentos são vistos como proibidos, tidos como (remosos) a exemplo da carne de porco e o camarão.

Contudo, o termo remoso, não é algo relativo à ciência, e sim uma antiga expressão popular.

No caso do acaí, muito se questiona se o fruto entra ou não para o grupo dos remosos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Contudo, importantes estudos apontam que o açaí têm compostos com ação anti-inflamatória, o que pode ser benéfico na cicatrização da pele.

Um estudo publicado em 2006, no Journal of Agricultural and Food Chemistry, descobriu várias substâncias presentes no açaí.

Os pesquisadores relataram, que o fruto é rico em antioxidantes que protegem as células dos danos oxidativos, e inclusive, apresentou propriedades anti-inflamatórias.

O Dr Alex Schauss membro da pesquisa enfatiza: “O estudo oferece uma melhor compreensão das propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes presentes no açaí”

Açaí, efeito anti-inflamatório:

Um artigo publicado na revista International Journal of Nutrology, conta que a polpa do açaí possui vários antioxidantes, mas as antocianinas são os fitoquímicos predominantes.

As uvas são ricas em antocianinas, mas um litro de açaí tem 33 vezes mais antocianinas do que um litro de vinho tinto.

As antocianinas possuem diversos benefícios para saúde, incluindo ação anticarcinogênica, anti-inflamatória, antimicrobiana, antioxidante dentre outros.

A pesquisa concluí, que os compostos presentes no açaí, são substâncias que combatem a inflamação e reduzem o ferimento no corpo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além disso, a composição lipídica da fruta, também pode estar associado na redução do processo inflamatório.

Sendo assim, é errado pensar que o açaí é remoso de maneira geral, pois o fruto é nutricionalmente rico, sendo então, perfeito na dieta após cirurgia ou tatuagem!

Contudo, o alimento pode fazer parte da dieta, desde que o consumidor não tenha alergia ou intolerância a qualquer componente no fruto.

Consumindo o açaí da forma correta!

A recomendação para aproveitar melhor as propriedades benéficas do acaí, é evitar o alimento industrializado.

Em geral, no açaí que é comercializado nas lanchonetes e sorveterias, é acrescentado açúcar, xarope de guaraná, conservantes artificiais e emulsificantes.

No entanto, quem busca uma dieta anti-inflamatória, precisa substituir alimentos processados, ricos em açúcar, por opções naturais, sem aditivos alimentares artificiais, o que é muito mais saudável!

Agora, veja as frutas que ajudam na cicatrização!

De acordo com especialistas, para uma boa cicatrização, é indicado consumir frutas ricas em vitamina C.

Este nutriente, fortalecer o sistema imunológico, o que previne infecções, e ainda atua na produção de colágeno, uma proteína indispensável para regeneração da pele.

Portanto, confira na tabela abaixo, frutas ricas em vitamina C, que ajudam na cicatrização da pele:

Goiaba
Acerola
Tangerina
Abacaxi
Laranja
Melão
kiwi

VEJA MAIS!

A ciência e os alimentos remosos

O termo remoso que tanto ouvimos falar, é uma expressão antiga ligada à sabedoria popular.

O termo define alimentos que supostamente são inflamatórios e prejudiciais em certas condições de saúde.

Embora não exista evidências científicas que comprovem as reações desses alimentos, algumas hipóteses são levantadas para explicar ação deles.

É o que explicou a nutricionista, Maria Lucia Barreto Sá, da Universidade Estadual do Ceará,

“O que as pessoas classificam como remoso, talvez seja um alergênico, que provoca reações somente em certas pessoas, mais sérias em pacientes alérgicos”.

Isto é, esses alimentos não são prejudiciais a qualquer pessoa, mas somente para aqueles alérgicos.

Revisão Geral Dra. Marianne Rocha

Referencias bibliograficas: