O coco é um alimento versátil e quase tudo se aproveita, seja na produção do leite, água, óleo ou a farinha. Na culinária, é usado em bolos, doces, tortas e uma infinidade de receitas, mas será que coco é remoso?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A resposta você confere aqui, mas antes de entrarmos na questão, é importante conhecermos o conceito dos alimentos chamados de remosos.

Sobre os alimentos remosos

Segundo a cultura popular, ingerir o alimento remoso pode inflamar um ferimento e prejudicar a cicatrização da pele. Portanto, quem está em processo de cicatrização deve evitar na dieta.

É importante dizer que o termo remoso é relativo ao conhecimento popular e não científico. Bem como não há consenso sobre quais alimentos levam ou não o título.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Contudo, as pesquisas sobre o tema revelam que os alimentos mais considerados são, o camarão, ovos, caranguejo, carne de porco, peixes de pele e aves como patos.

Afinal, coco é remoso?

Em geral, não há contra indicação do coco após cirurgia ou tatuagem e não existem evidências científicas que ele atrapalhe na cicatrização.

O alimento não deve ser consumido apenas por pessoas alérgicas ou intolerantes. Bem como é sugerido ter moderação com derivados como óleo de coco devido ao alto teor de gordura saturada.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Este cuidado deve ser maior na dieta de pessoas com problemas do coração ou colesterol elevado.

Já produtos alimentícios de coco ricos em açúcar, sal, óleos refinados, biscoitos recheados ou as frituras precisam ser evitados para uma boa cicatrização.

Isso porque alimentos com alto teor de açúcar e carboidratos refinados causam a inflamação no corpo e aumentam o risco do surgimento de várias doenças. (1)

Reações adversas ao coco

As reações adversas ao consumo do coco não ocorrem em todas as pessoas, mas naquelas que possuem intolerância ou alergia, condições de saúde distintas.

Contudo, se a ingestão do alimento nunca causou nenhum efeito adverso é provável que o consumidor não tenha alergia ou intolerância.

A alergia alimentar é uma reação do sistema imunológico a certa substância ou aditivo no alimento, que gera sintomas como;

  • Coceira e inchaço na pele.
  • Vermelhidão.
  • Tontura.
  • Falta de ar.
  • Erupções cutâneas, entre outros.

A intolerância alimentar é outra condição, a qual está associada a problemas digestivos, que causam sintomas desde coceira, inchaço, diarreia, vômito, distensão abdominal, arroto, azia, etc.

Como saber se sou alérgico ou intolerante ao coco?

Em ambas as condições de saúde, as reações adversas surgem rapidamente após a ingestão do alimento, por isso é preciso identificar e buscar imediatamente ajuda médica.

O diagnóstico também pode ser feito através de exames em laboratório os quais visam identificar o agente causador.

Estudos demonstram que 90% de todas as manifestações alérgicas são decorrentes das proteínas do leite de vaca, frutos-do-mar, ovo, peixe, amendoim, trigo, nozes, soja e peixes.

No caso do coco, pouco são os casos de reações alérgicas, no entanto, ainda existem relatos.

Dessa forma, o consumidor deve estar ciente das suas condições de saúde, e com ajuda de um médico e nutricionista criar um plano alimentar adequado.

Benefícios do coco

Hoje falamos se coco é ou não remoso, porém vamos trazer mais informações sobre o alimento e seus benefícios para a saúde.

A poupa do coco é nutritiva e fonte de fibras alimentares, o fruto pode ser consumido por quem tem doença celíaca, pois não possui glúten.  Já a água de coco ajuda a hidratar nos dias de calor e sendo benéfica para pele.

Inclusive, existem substâncias no fruto como o ácido láuricocáprico e caprílico, que segundo estudos, têm demonstrado combater infecções.

Portanto, o consumo do coco e outros alimentos saudáveis, como grãos integrais, carnes magras, verduras e frutas, oferece uma boa nutrição ao corpo.

E a gordura no alimento?

De acordo com o Dr Walter C Willett, do Departamento de Nutrição da Escola de Saúde Pública de Harvard, o óleo de coco tem cerca de 90% de gordura saturada, maior que a manteiga explica ele.

Embora o consumo exagerado da gordura saturada esteja relacionado a problemas cardíacos, o Dr Willett, diz que devido ao ácido láurico no óleo de coco, existe também um aumento no colesterol HDL, chamado colesterol bom.

No entanto, o especialista não vê problemas no consumo deste alimento desde que seja feito de maneira ocasional e em porções moderadas.

Esperamos que tenham gostado da nossa matéria, compartilhe em suas redes sociais, nós vamos ficando por aqui e até a próxima.

Referências de pesquisa:

  • https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24613207/
  • BR&prev=search&pto=aue&rurl=translate.google.com&sl=en&sp=nm
  • https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC444260/
  • http://www.dan.unb.br/images/pdf/anuario_antropologico/Separatas1977/anuario77_raymundomaues.pdf
  • https://www.hospitaloswaldocruz.org.br/
  • http://www.marizapeirano.com.br/teses/proibicoes_alimentares.pdf