Revisão

Marianne Rocha Nutricionista

Diabéticos podem comer pão de queijo? |Veja os cuidados

Uma dúvida comum é se diabéticos podem ou não comer pão de queijo, e é justamente sobre isso que vamos falar hoje.

A diabetes é uma doença endócrina, condição em que o corpo não consegue absorver de forma adequada os açúcares (originados dos alimentos ricos em carboidrato).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Devido o impacto que o diagnóstico da doença tem sobre a vida dos pacientes, muito se questiona a respeito das regras e orientações nutricionais que devem ser seguidas por este público.

Além deste impacto, é imprescindível considerar que a diabetes sempre apresenta em mais de um tipo. Dessa forma, é importante compreender quais são eles, bem como a dieta de cada um.

De fato muitas dúvidas permeiam não só o próprio diabético, como também aqueles que convivem com ele.

Dentre os questionamentos, está a possibilidade ou não do consumo do pão de queijo, um alimento tão popular e tradicional no Brasil.

A seguir, conheça todos os detalhes da doença, e como este alimento em especial impacta na diabetes.

Quais os impactos da doença?

A diabetes é uma das condições que mais devem ser levadas a sério quanto a seu tratamento rigoroso. Quando acompanhada da forma incorreta, pode ocasionar consequências graves no sujeito, como:

  1. Cegueira
  2. Problemas renais
  3. Amputação de membros
  4. Problemas cardiovasculares

O tratamento adequado envolve o paciente e também aqueles que convivem com ele. Dado que resulta em diversas mudanças de hábitos.

A principal alteração na vida do sujeito com diabetes, sem dúvida está relacionada à alimentação.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A dieta será trabalhada conforme seu tipo de diabetes. A qual pode variar, mais comumente entre o tipo 1, tipo 2 e diabetes gestacional.

Será que diabéticos podem comer pão de queijo?

Uma vez que o consumo alimentar inadequado ocorre, como a alta ingestão de carboidratos, desequilibra-se o nível ideal de insulina e assim ocorre picos de glicose, podendo causar mal-estar no indivíduo.

O pão de queijo é um alimento feito basicamente de queijo, leite, polvilho e óleo. A junção destes ingredientes resulta em um combinado de gordura e carboidratos, o que pode ser prejudicial ao diabético.

O problema no consumo está na possibilidade do organismo não conseguir metabolizar o que for ingerido, aumentando os níveis de glicose no sangue.

Em alguns casos, a ingestão do pão de queijo poderá não ser totalmente vetado ao sujeito diabético, desde que exista avaliação e acompanhamento médico especializado.

Em conjunto com o seu médico, uma alternativa é criar uma conta denominada Bolus na alimentação (BA). Ela permite compreender a proporção entre as doses de insulina necessária para metabolizar as porções de carboidratos os quais estão presentes no pão de queijo.

Contudo, é necessário cada sujeito avaliar suas condições de saúde frente à situação junto a um especialista, A ingestão do pão de queijo ou qualquer alimento só poderá ser feita com auxílio de seu endocrinologista e nutricionista.

Então, como fica a alimentação dos diabéticos?

Embora hoje tratamos se diabéticos podem comer pão de queijo, sabe-se que nessa condição se deve evitar uma série de alimentos. Os quais seriam prejudiciais e “quebrariam” o equilíbrio da saúde.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quando se discute sobre quais alimentos devem ser proibidos, de fato, logo surgem a presença os doces.

É importante lembrar que eles não devem ser consumidos em excesso devido à presença de carboidratos simples, o quais são convertidos em glicose rapidamente no organismo. E, embora por vezes nos esqueçamos disso, não é somente nos doces que encontramos glicose!

As massas em geral, como por exemplo  o macarrão e itens de padaria, são fontes de carboidratos simples, que também são convertidos em glicose no corpo. Portanto, o mesmo controle com esses deve ser frequente.

SAIBA MAIS!

Entenda: Tipos de diabetes x Alimentação

O diabetes tipo 1, corresponde cerca de 5% a 10% dos casos no país, geralmente ocorre antes dos 30 anos e exige o uso de insulina no tratamento.

Já o do tipo 2, é o mais comum, envolve fatores genéticos e ambientais, tal como sedentarismo e obesidade. Estudos comprovam também a relação entre a patologia com a alimentação.

Observou-se que, a alteração na dieta do brasileiros ao longo dos últimos anos, impactou diretamente nos números de casos descobertos da doença, principalmente do tipo 2. Os principais fatores de mudança abarcam:

  1. A substituição de alimentos in natura por produtos industrializados;
  2. O consumo de ácidos graxos saturados, presentes em fast-foods, embutidos e margarinas.
  3. alimentação rica em carboidratos simples, farinha branca e açúcar.

Por fim, a alimentação do diabético deve ser equilibrada e visar o consumo de alimentos naturais aos produzidos artificialmente.

É importante para este sujeito atentar-se aos efeitos que uma alimentação inadequada pode resultar e procurar um nutricionista para melhor ajustar seu plano alimentar conforme sua patologia e rotina.

Revisão Geral Dra. Marianne Rocha