Grávida pode tomar sonrisal? – Veja os cuidados.

Afinal, será que grávida pode tomar sonrisal? Confira a seguir uma matéria completa sobre o tema.

Como a maioria das gestantes já sabe, é necessário tomar cuidado com os medicamentos consumidos durante a gravidez, inclusive aqueles de venda livre.

Isso porque, a probabilidade de causar riscos à saúde, tanto da mãe quanto do bebê, é alta.

Assim, é comum que muitas mulheres se perguntem quais remédios podem tomar no período gestacional.

Como o corpo materno sofre várias transformações durante a gestação, é comum que essas alterações causem alguns incômodos.

Um dos problemas que acomete entre 17% e 45% das gestantes, segundo estudo realizado pelo Instituto Nacional de Endocrinologia de Cuba, é a azia.

Normalmente, nesses casos é comum recorrer aos antiácidos, como o sonrisal, para alívio da azia e má digestão. 

É isso que vamos esclarecer no texto de hoje, por isso, leia até o final e saiba se o sonrisal traz ou não riscos durante a gravidez.

O que é o sonrisal?

Produzido pela companhia farmacêutica, GlaxoSmithKline, o sonrisal é um antiácido e analgésico indicado para o tratamento de azia, má digestão e acidez excessiva no estômago.

O medicamento é composto por ácido cítrico, bicarbonato de sódio e carbonato de sódio. Por isso, ajuda a neutralizar o excesso de ácido no estômago, e reduz o desconforto estomacal.

Diferente do Sal de Fruta Eno, o sonrisal atua também aliviando dores de intensidade leve a moderada, pois contém ácido acetilsalicílico, (analgésico antipirético.)

Por esse motivo, o medicamento também é indicado para o alívio de dor de garganta, dor muscular, dor de dente e dor de cabeça.

Grávida pode ou não tomar sonrisal?

Segundo a companhia farmacêutica GlaxoSmithKline, a qual produz o medicamento. O sonrisal não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. (1)

Além disso, conforme as informações da bula, não utilize sem informar ao seu médico se faz ou não o uso de algum outro medicamento.

Como já mencionado, entre os componentes do sonrisal, está o ácido acetilsalicílico, conhecido popularmente como aspirina.

Embora a aspirina não seja recomendada durante a gravidez, de acordo com a ginecologista americana, Yvonne S. Butler Tobah, o uso em baixa dosagem – 60 a 100 miligramas (mg) por dia, não foi considerado prejudicial.

Entretanto, o uso de doses mais altas é capaz de aumentar não só o risco de aborto espontâneo, mas também defeitos congênitos.

Conforme os especialistas, o uso do ácido acetilsalicílico em altas doses por longos períodos na gravidez, pode ser prejudicial para mãe e o bebê.

Portanto, sempre que sentir algum mal-estar, a gestante deve consultar um médico e consumir somente os medicamentos prescritos por ele, inclusive o sonrisal.

Além disso, é essencial sempre ler as informações contidas na bula, para verificar os efeitos colaterais e reações que podem ocorrer e, em caso de dúvida, retornar ao médico.

Efeitos Colaterais e cuidados

Embora muitas mulheres tenham dúvida se grávida pode tomar sonrisal, existem outros cuidados relacionados ao medicamento.

O medicamento pode causar alguns efeitos colaterais indesejáveis, tanto em gestantes quanto em outros pacientes.

Dentre as reações, estão;

  • Arroto
  • Gases
  • Vômito
  • Náusea
  • E distensão abdominal.

Caso ocorra alguma alergia como coceira, vermelhidão na pele, espirro, vômito, dificuldade para respirar, inchaço e sangue nas fezes, o tratamento deve ser interrompido imediatamente.

Classificação de risco dos medicamentos durante gravidez

Com o objetivo de fazer uma avaliação mais complexa do risco-benefício dos medicamentos durante a gestação, a Food and Drug Administration – FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos) elaborou uma classificação de risco.

Categoria A

Essa categoria é referente aos medicamentos e substâncias que não se mostraram, através de estudos, de risco para o feto durante o primeiro trimestre da gestação.

Ou seja, a probabilidade de causar um dano fetal é bem pequena, quase nula. Dentre os medicamentos, estão a vitamina D3 e o ácido fólico, por exemplo.

Categoria B

Essa categoria refere-se às substâncias que, através de estudos em animais, não indicam riscos para o feto.

No entanto, também há estudos realizados em humanos que apontem efeitos adversos sobre o feto.

Na categoria B, portanto, são considerados os medicamentos: Naloxona, Acetilcisteína, Ambroxol e Fenoterol, AINE. Todavia, devem ser prescritos pelo médico e o consumo deve ser cauteloso.

Categoria C

Resume-se nos medicamentos que podem provocar efeitos teratogênicos ou tóxicos para os embriões. Porém, ainda não há estudos que comprovem essas alterações.

Entre os medicamentos incluídos nessa categoria estão o AAS, Midazolam, Aciclovir, Neomicina, Ácido folínico e Neostigmina.

Categoria D

Existem evidências de que, os medicamentos dessa categoria apresentam alguns riscos para o feto. Assim podendo causar doenças graves ou por a vida em risco.

Os medicamentos considerados de alto risco nessa categoria são, por exemplo, Amitriptilina, Espironolactona Pentobarbital e Estreptomicina.

Categoria X

Estudos realizados em humanos e animais demonstraram que os referidos medicamentos dessa categoria podem causar alterações fetais de alto risco.

Esses medicamentos são classificados como de alto risco e perigosos, sendo eles: Ciclofosfamida e Cisplatino Hidroclorotiazida Tetraciclinas Citarabina e Imipramina Tiopental.

Outras contraindicações do sonrisal

De acordo com as informações da bula, o sonrisal também é contraindicado para pessoas:

  • Alérgicas ao ácido acetilsalicílico, salicilatos, anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs) ou qualquer outra substância da fórmula;
  • Com doenças no cardíacas, nos rins e no fígado;
  • Que seguem uma dieta restrita ao sódio; 
  • Com suspeita de dengue, que teve asma ou dificuldades para respirar;
  • Pacientes com histórico de gota, úlcera estomacal, sangramento ou perfuração no estômago;
  • Que tem ou teve problemas de coagulação sanguínea ou hemofilia.

Referências:

  • https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4562453/
  • https://www.mayoclinic.org
  • https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5839927/mod_resource/content/1/MEDICAMENTOS%20NA%20GESTA%C3%87%C3%83O.pdf
  • https://consultaremedios.com.br/
  • https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28081850/
  • https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5839927/mod_resource/content/1/MEDICAMENTOS%20NA%20GESTA%C3%87%C3%83O.pdf
Sair da versão mobile