Grávidas Podem Comer Feijoada? | Veja os cuidados

Escolher bem os alimentos é muito importante para uma vida saudável, mas torna-se especial em condições como na gestação.

Existem diversos pratos na culinária brasileira que despertam dúvidas entre as gestantes.

Uma pergunta comum é se grávidas podem ou não comer feijoada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Afinal, grávidas podem comer feijoada?

Embora a dieta seja algo bastante individual, em geral, não existe contraindicação no consumo da feijoada durante a gravidez, exceto em quadros alérgicos.

Porém, cada gestante junto ao seu obstetra e nutricionista, optar pelos melhores alimentos e evitar aqueles menos saudáveis.

É necessário destacar que no período da gestação, os riscos de contaminações por microorganismos são maiores, e muitas vezes pode ocorrer pela alimentação.

Portanto, para evitar contaminações, o cuidado na hora do preparo e conservação dos alimentos é essencial.

De modo que aqueles de origem animal como ovos, carnes e lácteos estão entre os passíveis de transmissão.

A feijoada é um prato que leva carne suína. Contudo, é possível ser encontrado nela crua ou mal cozida, os mais diversos microrganismos.

Abaixo confira alguns exemplos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Salmonela
  • Shigella
  • escherichia-coli
  • Staphylococcus aureus
  • Toxoplasma gondii
  • Yersinia enterocolitica
  • Listeria monocytogenes

Estes patógenos são capazes de causar problemas em pessoas em condições normais, sobretudo, na gestação.

Por exemplo, eles podem causar; parto prematuro, infecção do recém-nascido, aborto espontâneo, natimorto dentre outros.

Confira os cuidados no preparo da feijoada

Embora a incidência de infecções por microorganismos através da ingestão de carnes tenham diminuído devido a maior higiene na criação e alimentação adequada dos animais, ainda existem riscos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Desta forma, a carne de porco usada na feijoada merece alguns cuidados. A começar pela manipulação da própria carne e utensílios de cozinha que devem ser feito sempre com muita higiene.

De acordo com ABPA, Associação Brasileira de Proteína Animal, para uma boa conservação da carne, o alimento deve ser preservado no congelador e nunca a temperatura ambiente.

já a temperatura e o tempo de cozimento adequado da carne de porco ajuda a destruir as bactérias nocivas que causariam vários problemas de saúde.

De acordo com o portal de segurança alimentar dos Estados Unidos, o foodsafety.gov, a temperatura mínima de cozimento segura para a carne de porco, vitela e cordeiro é de cerca de 71 graus.

Feijoada enlatada na gravidez

Pela praticidade do produto, muitas vezes a feijoada enlatada se faz presente na dieta de muitos, inclusive das gestantes.

No entanto, o alimento pode apresentar alto índice de sódio, conservantes e gorduras saturadas.

Na atualidade, existe o consenso científico estabelecido que tais substâncias devem ser limitadas na dieta, não só em condições normais, mas também na gestação.

Portanto, o sugerido é nunca exagerar nos enlatados, pois quase sempre esse tipo de comida é rica em substâncias nada saudáveis.

Feijoada enlatada: porção (120 g) tem em média 134 calorias, 708 mg de sódio e 3 g de gorduras saturadas.

ARTIGOS RELACIONADOS

Alimentação saudável na gestação

A gestação é um período em que o bebê busca nutrientes de qualidade para melhor se desenvolver. Portanto, é recomendado uma dieta equilibrada, diversificada e nutritiva.

Considerando que a alimentação saudável na gestação, inclui dar preferência em alimentos como; peixes, frutas, grãos integrais, vegetais, carnes magras e produtos lácteos.

Já comidas ultraprocessadas ou guloseimas cheias de açúcar pode não ser uma boa ideia.

De fato, estar atenta a sua dieta é fundamental, afinal, são 9 meses que irão gerar uma vida, não é mesmo? 😉

Nossa dica extra!

Embora o foco do nosso artigo de hoje foi se as grávidas podem consumir feijoada, também vamos trazer algumas informações extras e muito úteis na gestação.

Durante este período, você precisará de proteína e cálcio para os tecidos e ossos do bebê.

Além disso, o ácido fólico protege contra os defeitos de nascimento do tubo neural e coluna vertebral.

Inclusive, saiba que segundo recentes pesquisas, também é muito importante uma dose diária 10 mg de vitamina D.

Inclusive, é indicado ingerir alimentos ricos em ferro, que ajuda as células vermelhas do sangue transportar oxigênio para seu bebê.

Já o consumo de alimentos ricos em ômega 3 é bom para saúde tanto da mãe quanto do bebê. Portanto, abaixo separamos uma pequena lista de alimentos ricos nesse tipo de gordura.

  • Sardinha
  • Arenque
  • Atum
  • Bacalhau
  • Salmão
  • Óleo ou a semente de linhaça
  • Azeite de oliva
  • Espinafre
  • Brócolis
  • Rúcula.

E aí gostou da nossa matéria? Nós esperamos que sim, você compartilhar em suas redes sociais ou deixar o seu comentário, vamos ficando por aqui e até a próxima.