Milho é Remoso | Entenda mais sobre o alimento! Veja só!

O milho é usado na culinária em vários países, no Brasil, é à base de pratos típicos como angu, polenta, cuscuz, bolo ou simplesmente na espiga cozido ou assado. Mas será que o milho é remoso?

Hoje vamos explorar mais sobre esse cereal e saber se há ou não necessidade em se preocupar com o consumo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Mas, antes de entrarmos nessa questão, primeiro vamos entender o que são os alimentos remosos de acordo com a tradição popular.

Conhecendo o alimento remoso

O alimento remoso possui a má fama de dificultar o processo de cicatrização, devido a capacidade de gerar reações como coceira e inflamação na pele.

Segundo um estudo da Universidade Federal de Goiás, o conceito da “reima” trata-se de uma característica que torna o alimento “ofensivo” em certos estados do organismo.

Dessa forma, é desaconselhado ingerir o alimento remoso, sobretudo, em condições como no pós-operatório, machucado ou para quem recentemente fez uma tatuagem.

Dois dos principais exemplos, é a carne de porco e o camarão, ambos considerados remosos devido a possibilidade de provocarem reações alérgicas.

No caso desses dois, a ciência entende e classifica como alimentos alergênicos, assim como o amendoim, o leite de vaca, soja, castanhas, trigo e o ovo.

É tido também como remoso, o alimento que tem em sua composição substâncias consideradas pró-inflamatórias ao organismo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Entre os vilões estão os alimentos processados, pois são ricos em açúcar ou gorduras saturadas, incluindo no grupo ainda a farinha refinada.

Afinal, milho é remoso?

De modo geral, o milho não é remoso, já que fornece nutrientes essenciais para uma boa cicatrização, o cereal está contraindicado somente na dieta de alérgicos ou intolerantes.

O alimento é fonte das vitaminas (A, B, E e K), que são importantes em todas as fases do processo de cicatrização.

Estes nutrientes melhoram a síntese de colágeno, a imunidade celular, e atuam no processo de coagulação e epitelização.

Além disso, sabia que o milho verde é fonte de vitamina C? O nutriente é conhecido por suas propriedades antioxidantes e ainda por atuar na produção de colágeno, favorecendo a cicatrização.

Já os minerais no alimento também são fundamentais durante o processo cicatricial, dentre os quais estão presente;

  • Ferro
  • Magnésio
  • Fósforo
  • Selênio
  • Cobre
  • Zinco
  • Potássio

As proteínas e gorduras do milho

As proteínas são substâncias cruciais para a cicatrização, e o milho comparado com a maioria dos vegetais é uma boa fonte. A cada 100g do alimento há cerca de 3.27 gramas do nutriente.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Entre os aminoácidos no cereal, está a glicina e prolina, compostos que atuam na produção de colágeno, ajudando na cicatrização e firmeza da pele.

Já a maior parte das gorduras no milho, são monoinsaturadas e poliinsaturadas, ambos saudáveis ​​para o coração, pois reduzem o colesterol ruim (LDL) e possuem efeitos anti-inflamatórios.

Vale lembrar que é recomendado associar o milho com outros alimentos saudáveis, além de ter uma dieta variada e livre de alimentos ultraprocessados.

Quando o milho provoca alergia?

Em geral, a alergia alimentar é descoberta na infância, e os sintomas mais comuns da condição são os seguintes;

  • Coceira
  • Falta de ar
  • Náuseas 
  • Caroços vermelhos na pele
  • Tontura
  • Dor abdominal
  • E inchaço sob a pele

O milho como qualquer alimento pode provocar uma reação adversa se estiver contaminado por microrganismos ou conter substâncias que causem uma reação exagerada do sistema imunológico.

Entretanto, os alimentos que são mais comuns de causar alergia são estes;

  • Peixe
  • Trigo
  • Leite e derivados
  • Soja
  • Ovo
  • Frutos do mar
  • Nozes
  • Amendoim
  • E castanhas

Segundo a ASBAI, sigla para Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, a maior incidência de reações alérgicas por alimentos ocorrem em crianças com menos de 3 anos de idade, acometendo cerca de 6% a 8% nessa faixa etária.

No entanto, de acordo com a associação, a prevalência em adultos é bem menor, atingindo entre 2% a 3%.

A predisposição genética está entre as principais causas, as pesquisas apontam que entre 50% a 70% dos alérgicos possuem algum familiar com a mesma condição.

Os sintomas da alergia alimentar ocorrem logo após a ingestão do alimento, sendo necessário buscar imediatamente ajuda médica.

Contudo, se o milho já faz parte da sua dieta e nunca provocou qualquer reação adversa, é provável que este não seja o seu caso.

O milho contém glúten?

milho in natura não contém glúten e pode ser uma alternativa na dieta de pessoas com doença celíaca, uma outra condição que também gera uma reação exagerada do sistema imunológico.

A doença está relacionada a uma reação imunológica à ingestão de glúten, uma proteína encontrada no trigo, na cevada e no centeio.

Consumindo o milho de forma saudável!

Além de saber se o milho é remoso, é preciso aprender a consumi-lo de modo que seja benéfico a saúde.

É mais saudável consumir esse cereal em sua forma natural e deixar pra lá o alimento processado para ter uma boa saúde.

Segundo um artigo científico, publicado pela Dra. Janice KiecoltGlaser, professora e diretora do Instituto de Pesquisa em Medicina Comportamental do Estado de Ohio nos EUA, certos alimentos provocam inflamação no corpo.

Na lista dos alimentos inflamatórios estão os carboidratos refinados, açúcar, gorduras saturadas e trans.

Por isso, tenha cuidado com produtos industrializados de milho, por exemplo, cereais matinais, pois uma colher de sopa, chega a ter até 12 gramas de açúcar e 116 kcal.

O mesmo serve para bolachas, doces ou xaropes os quais são altamente refinados, ricos em açúcar e pobres em nutrientes.

No artigo citado, a Dra. Glaser aponta que consumir frutas, grãos integrais e vegetais está associado a menor estresse oxidativo e inflamação no corpo.

Fontes:

  • https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2868080/
  • https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2213453018301009
  • http://aaai-asbai.org.br/
  • https://www.verywellfit.com/corn-facts-content-calories-and-health-benefits-4116932

Sair da versão mobile