Cuscuz prende o intestino? – Veja e entenda.

O cuscuz é daquelas receitas que ficam guardadas na memória e no coração, não é mesmo?

Contudo, o prato que caiu no gosto dos brasileiros, também é motivo de diversas dúvidas.

Fato é que existem inúmeras suspeitas que a iguaria causa constipação, mas, será que o consumo do cuscuz prende o intestino?

No entanto, para sabermos a resposta, primeiro é preciso conhecermos melhor o prato e sua composição.

Conhecendo o cuscuz

Certamente você já conhece a popularidade do cuscuz. E não deve desconhecer seu sabor, tão apreciado pelos brasileiros. Chega-se até a pensar que o quitute teve origem no Brasil.

Mas, não é bem assim. O cuscuz é uma iguaria africana, que veio de uma região chamada Magrebe. Situada no noroeste da África. Mas, independentemente de sua origem, é sempre a delícia que conhecemos.

Além de tudo, o cuscuz ainda conta com várias propriedades nutricionais que contribuem positivamente para nossa saúde.

Em geral, o prato possui diversas versões, como o famoso cuscuz Nordestino, o paulista o Marroquino, sem falar do de Tapioca.

Afinal, o cuscuz prende o intestino ou não?

Ao contrário do que muitos pensam, o cuscuz feito de milho, é rico em fibras que favorecem o trânsito intestinal, ou seja, o prato por si só não prende o intestino.

Na verdade, o cuscuz possui mais fibras que o arroz cozido, como mostra os dados com base na Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. (TACO)

Fibra alimentar, 100g do alimento.

  • Cuscuz de milho 2,1g
  • Arroz tipo 1 cozido 1,6g

A crença sobre o efeito negativo do cuscuz é um mito, surgiu pelo fato de levar ingredientes secos como a farinha de milho.

A receita é uma mistura de sêmola de cereais, onde os componentes principais podem ser flocos de milho, trigo, ou até farinha de tapioca.

Vale destacar, que o cuscuz branco feito de tapioca, é o mais baixo em fibras, isso porque a tapioca é pobre nesse componente.

Portanto, para quem sofre de prisão de ventre, a melhor opção é a receita feita com flocos de milho, sendo a versão mais conhecida e apreciada aqui no Brasil.

Enfim, o fato de ser de constituição mais granulada, parecendo mais grosso que a farinha, deu ao cuscuz esta fama de causador de prisão de ventre. 

Apesar disso, o prato é fonte de nutrientes e fibras que são benéficas e ajudam no bom funcionamento do intestino.

As fibras são compostos vegetais de fundamental importância para nosso corpo, especialmente para o intestino.

Por isso, é essencial ingeri-las, seja de fontes como o cuscuz e outros pratos saudáveis.

Em conjunto é preciso ingerir líquidos

Embora possua características que o posicionam em um patamar elevado de alimento nutritivo e benéfico, o cuscuz deve ser inserido na dieta num contexto saudável.

Isso porque de nada adianta comer cuscuz ou qualquer prato saudável, e não ingerir uma porção adequada de água.

As fibras contidas nos alimentos agem sobre as fezes, mas precisam da água como auxiliar na eliminação e para ajudar no amolecimento do bolo fecal.

Com maior ingestão de água, não só aumenta o volume do bolo fecal, mas torna as fezes mais macias e, assim favorecendo a evacuação.

Além disso, é essencial não ter um estilo de vida sedentário, pois também isso pode contribuir para a prisão de ventre.

Portanto, para o bom funcionamento do intestino, é preciso praticar atividades físicas, ter uma dieta rica em fibras e beber bastante água.

Observe abaixo a composição nutricional do cuscuz e entenda porque vale a pena mantê-lo em sua mesa.

Valores nutricionais do cuscuz de milho

O cuscuz conta com diversos nutrientes em sua composição. Portanto, é muito benéfico. Veja as informações nutricionais em 100 gramas do alimento.

Carboidrato25,3g
Proteínas2,2g
Gorduras totais0,7g
Fibra alimentar2,1g
Fibras solúveis0,1g
Cálcio1,5 mg
Piridoxina B60,1 mg
Magnésio2,7mg
Lipídios0,7g
Fósforo23,2 mg
Ferro0,2 mg
Potássio10,9 mg
Zinco0,2 mg
Sódio247,7 mg
Fonte: Tabela TACO