Presunto é Remoso? | Conheça mais sobre o alimento!

O presunto é um alimento bastante comum na dieta dos brasileiros, sendo utilizado de diversas formas na culinária. No entanto, será verdade que presunto é remoso?

A dúvida ocorre em várias situações, porém é comum em quem tem ferimentos na pele, e teme que a ingestão interfira na cicatrização.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Portanto, não é difícil encontrar quem fez tatuagem ou até cirurgia preocupado se o alimento pode ou não atrapalhar na  recuperação.

Hoje vamos trazer diversas informações interessantes sobre o assunto, a começar pela compreensão dos alimentos remosos.

Explicação sobre os alimentos remosos

O que os alimentos remosos têm em comum, é alta carga de gordura em sua composição, o termo remoso que não é científico, é mais comumente aplicado em alimentos como o camarão e a carne de porco.

No entanto, é importante saber que essa classificação não vem da ciência, mas sim do conhecimento popular que é passado por gerações.

Em geral, o alimento remoso é posto como causador de reações no organismo do consumidor, como agravar uma inflamação ou dificultar a cicatrização de um ferimento.

Afinal, presunto é remoso mesmo?

De acordo com uma pesquisa feita pelo Departamento de Nutrição de saúde da Universidade Federal de Viçosa – MG, a qual buscou compreender os hábitos alimentares de algumas regiões do país.

A carne de porco foi a mais relatada como remosa e vista como proibida em diversas condições, sendo essa restrição alimentar seguida por muitos.

Já derivados como o presunto, salsicha e a linguiça também são comumente associados como alimentos remosos por muita gente.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Embora poucos sejam os estudos científicos se a carne suína é capaz ou não de interferir no processo de cicatrização da pele, a ciência mostra que os alimentos processados são pró-inflamatórios.

Os alimentos processados ou industrializados, são produtos geralmente ricos em gordura saturada, sódio, açúcar, assim como em diversos aditivos alimentares, como conservantes e corantes.

Neste grupo de alimentos, estão as carnes processadas como o presunto, salsicha, salame, linguiça, além dos doces e enlatados.

A carne vermelha e as carnes processadas, devem ser evitadas ou limitadas na dieta, pois causam inflamação no corpo, segundo a Escola de Medicina Harvard.

De acordo com a instituição estadunidense, além da ação inflamatória, as comidas processadas aumentam os ricos de doenças crônicas, como diabetes tipo 2 e doenças cardíacas.

O presunto é rico em gordura saturada e sódio 

A gordura saturada, é o tipo mais comum em embutidos como o presunto. De acordo com a American Heart Association, é sugerido limitar essa gordura na dieta.

A organização destaca que em anos de pesquisas científicas, se concluiu que a gordura saturada em excesso, pode aumentar os níveis do colesterol LDL  e assim elevar o risco de doença cardíaca.

Já o sódio é outro componente bastante encontrado em alimentos processados, saiba que é possível achar até 333 mg da substância em apenas 3 fatias de presunto.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A Organização Mundial de Saúde, recomenda que adultos consumam menos que 2 gramas de sódio por dia. De acordo com especialistas da área da saúde,  o excesso de sal na dieta está relacionado a problemas como hipertensão e doença renal.

Agora confira os alimentos que ajudam na cicatrização da pele

Para uma boa cicatrização, de acordo com centro médico acadêmico americano, Cleveland clinic. É recomendado uma dieta que contemple alimentos ricos em nutrientes como, zinco, vitamina C,  vitamina A, ômega 3 e proteínas.

Você pode encontrar esses nutrientes nos seguintes alimentos;

  • Grãos integrais
  • Castanhas
  • Peixes – salmão, sardinha e atum
  • Leite
  • Espinafre
  • Cenoura
  • Morango
  • Laranja 

Sendo assim, para uma boa cicatrização, além de seguir as orientações de seu médico, aderir a uma dieta que inclua alimentos saudáveis fornecerá os nutrientes necessários para a reconstrução dos tecidos lesionados.

No entanto, antes de fazer qualquer alteração em sua dieta, é recomendado procurar sempre a orientação e o acompanhamento de seu médico e nutricionista.

Revisão Geral  Dra. Marianne Rocha

Artigos relacionados:

Referências:

  • https://www.scielosp.org/article/csc/2011.v16n10/4267-4274/http://www.marizapeirano.com.br/teses/proibicoes_alimentares.pdf
  • https://www.health.harvard.edu/staying-healthy/foods-that-fight-inflammation
  • http://www.dan.unb.br/images/pdf/anuario_antropologico/Separatas1977/anuario77_raymundomaues.pdf
  • https://my.clevelandclinic.org/health/articles/11111-nutrition-guidelines-to-improve-wound-healinghttps://www.heart.org/en/healthy-living/healthy-eating/eat-smart/fats/saturated-fats