Salmão é Remoso? | Entenda mais sobre o assunto!

Muita gente tem dúvida se salmão é remoso para quem fez tatuagem ou passou por uma cirurgia. 

Remoso é uma expressão antiga ligada ao conhecimento popular, o termo define alimentos que atrapalham a cicatrização devido a causar coceira ou inflamação na pele.

Segundo a tradição popular, os peixes remosos são aqueles que não possuem escamas, porém não se sabe exatamente a origem dessa crença.

No caso talvez venha da religião hebraica, onde dividem os peixes em kasher e não.

  • Levítico 11:9 “Podereis comer de tudo o que vive nas águas, seja nos mares ou nos rios, desde que tenha nadadeiras e escamas”

O mesmo pensamento vale para espécies como os peixes detritívoros que se alimentam de restos orgânicos nos fundos dos rios, lagoas ou mares.

Enfim, salmão é remoso?

O salmão não é remoso devido a ser fonte de nutrientes que são importantes para a cicatrização, além de conter ácidos graxos essenciais como ômega 3 que combatem a inflamação.

No entanto, o peixe pode causar reações na pele como coceira, inchaço e inflamação cutânea somente em pessoas alérgicas ao pescado.

Vale ressaltar, que se anteriormente o consumo do salmão nunca provocou nenhuma reação adversa é possível que este não seja o seu caso. 

Ainda assim, se após a ingestão do alimento apresentar quaisquer dos sintomas mencionados, busque imediatamente ajuda médica.

Outro cuidado, é que a ingestão do salmão cru ou mal conservado pode levar a uma intoxicação alimentar, causando sintomas que vão desde diarreia, vermelhidão e erupções na pele.

Por isso, para evitar possíveis contaminações é essencial tomar algumas medidas de segurança, como por exemplo,

  • Cozinhar bem os alimentos
  • Manter a higiene no manuseio e preparo
  • Dar atenção à data de validade, (salmão enlatado)
  • Conservar as carnes e outros perecíveis sempre sob refrigeração
  • Nunca expor os alimentos à temperatura ambiente por mais de duas horas

Dessa forma, para quem não possui alergia e o salmão estando em perfeitas condições para o consumo, ele não será remoso, pois é fonte de proteínas, vitaminas e minerais que são essenciais para cicatrização.

 Alimentos que ajudam na cicatrização da pele

Quem está em processo de cicatrização precisa ter uma dieta nutritiva para fornecer ao corpo substâncias que ajudem a fechar o ferimento e reduzir a cicatriz.

Ao mesmo tempo, é preciso limitar o consumo de alimentos processados pelo alto teor de açúcar e gorduras saturadas, pois segundo uma publicação da Escola de Medicina Harvard, são componentes que aumentam a inflamação no corpo.

Os peixes como o salmão, a sardinha e o atum possuem um alto valor nutricional e estão amplamente disponíveis no nosso país, sendo fontes de proteínas e gorduras com ação anti-inflamatória.

As vitaminas do complexo B estão presentes no salmão e são importantes para uma boa cicatrização, fortalecem o sistema imunológico e ajudam na manutenção da saúde da pele, cabelo e unhas.

Além disso, outros nutrientes como, selênio, potássio e vitamina D também são encontrados no alimento.

Além do consumo de peixes, para uma boa cicatrização ingerir alimentos ricos em vitamina C é importante neste sentido.

A vitamina C ajuda na cicatrização e proteção da pele, além que atua fortalecendo o sistema imunológico e assim combatendo possíveis infecções.

As frutas são boas fontes do nutriente, abaixo confira algumas opções;

  • Goiaba
  • Acerola
  • Limão
  • Caju
  • Laranja
  • kiwi

O Salmão é fonte astaxantina e ômega 3

A astaxantina é um carotenoide que está presente em certas algas, crustáceos e no salmão, sendo ela a responsável pela coloração rosa ou vermelha do peixe.

Segundo um estudo, pessoas que ingeriram a astaxantina combinada com colágeno tiveram uma redução nos danos à pele e uma melhora significativa na elasticidade e na hidratação do tecido. (1)

Outros benefícios do consumo da astaxantina estão relacionados na redução do risco de doenças cardíacas (2) (3)

Devido a ser fonte de ácidos graxos ômega 3, pesquisas mostram que o consumo do salmão auxilia no combate à inflamação e os sintomas em pessoas com doenças inflamatórias. (4)

Embora mais estudos sejam necessários para comprovar esses achados, as evidências indicam que o consumo de peixes como o salmão pode auxiliar na saúde do cérebro, coração e no combate à inflamação.

Segundo a Medicina Integrativa da Universidade de Michigan, as anchovas e o salmão estão entre os peixes com maiores teores em ômega-3, seguidos de arenque, cavala e atum.

Considerações finais

Para o público em geral, é errado pensar que o salmão é remoso, pois é fonte de gorduras boas como ômega 3, proteínas, vitaminas e minerais que ajudam na cicatrização do ferimento.

Entretanto, vimos que é preciso ter cuidados para evitar contaminações e não nunca ingeri-lo em casos de alergia ou intolerantes ao peixe.

Portanto, é importante conhecer as suas condições de saúde e buscar ajuda de um nutricionista para orientar a sua alimentação e selecionar os alimentos necessários de acordo com suas necessidades.

Nós esperamos que este artigo tenha esclarecido as suas dúvidas sobre o tema, nós ficamos por aqui e até o próximo texto.