Peixe é Remoso? | Quais Espécies? Veja a lista!

peixe é remoso

Na cultura popular, o alimento remoso deve ser evitado em algumas condições. Por exemplo, para quem fez cirurgia ou mesmo uma tatuagem.

Assim, algumas espécies de peixes são consideradas remosas e impróprias para o consumo.

Pois a ingestão poderia causar inflamação em pessoas com ferimentos na pele.

Neste artigo, vamos saber quais peixes são vistos como remosos, e porque são chamados assim.

Atributos do peixe remoso

Segundo os estudos, entre a população, os peixes remosos são aqueles com escamas pequenas ou com ausência delas, por exemplo, os bagres (peixes de couro.)

Além disso, o hábito alimentar, aparência e o comportamento do pescado, também é considerado para defini-lo.

Com isso, os peixes com aparência estranha, comportamento agressivo ou com cheiro forte, também estão passíveis do termo remoso.

Hábito alimentar do peixe remoso

Algumas espécies são consideradas remosas devido aos seus hábitos alimentares, como os peixes detritívoros e iliófagos.

Esses animais procuram comida no fundo dos lagos, pântanos e rios, se alimentando de restos de matéria orgânica vegetal ou animal.

Em geral, esses peixes se alimentam no fundo de ambientes aquáticos de;

  • Fezes de outros peixes.
  • Detritos orgânicos, plantas ou animais mortos.
  • Larvas de insetos.
  • Ovos de animais invertebrados.

Portanto, como a dieta desses animais é composta de microalgas, fungos e bactérias, estariam mais passíveis de receber e transmitir micro-organismos pelo seu consumo.

Peixe piscívoro

Os peixes piscívoros se alimentam de outros peixes e, por isso, estariam mais sujeitos ao acúmulo de toxinas como o mercúrio.

O tucunaré e o tubarão, tendem a acumular maior teor de mercúrio se as águas estiverem contaminadas.

Segundo as pesquisas, a ingestão prolongada dessas espécies pode levar à contaminação devido a estarem no topo da cadeia alimentar

Os estudos mostram que as atividades de lavras garimpeiras e a falta de fiscalização favorece a contaminação desses animais.

Qual peixe é remoso?

Veja a lista de peixes considerados remosos, conforme a tradição popular. As Fontes incluem: Unesp 

  • Bagre
  • Boto
  • Pintado
  • Surubim
  • Linguado
  • Pintado
  • Peixe-boi
  • Mandubé
  • Jundiá 
  • Pacamão
  • Mandi
  • Piranha
  • Anjo
  • Arraia
  • Filhote
  • Piraíba
  • Peixe-serra
  • Baleia
  • Cação
  • Caçonete
  • Espada
  • Moréia
  • Curimbatá
  • Tubarão
  • Viola

Peixes permitidos para o consumo

  • Peixe Corvina
  • Manjuba
  • Merluza
  • Mero
  • Namorado
  • Aracu
  • Pacú
  • Dourado
  • Pescada
  • Robalo
  • Salmão
  • Salmonete
  • Sardinha inteira fresca
  • Tainha
  • Cará
  • Lambari
  • Manjuba
  • Tilápia

Veja! Açaí é remoso?

Mas o que a ciência diz?

Apesar da ciência entender o alimento remoso como um tabu alimentar, devido à falta de evidências científicas da ação destes sobre a cicatrização da pele, algumas hipóteses são levantadas.

Como aponta um estudo dos autores, Adriana Guimarães Estácio e Lacy Cardoso de Brito Júnior.

Segundo eles, os animais como camarão, caranguejo ou porco selvagem, tem sua dieta associada a itens em decomposição, onde há decompositores como as bactérias.

Portanto, mesmo esses alimentos sendo bem cozidos e ocorrendo a destruição das bactérias na carne, ainda assim, as toxinas não seriam destruídas pelo cozimento.

De modo que, a ingestão desses itens poderia causar uma reação adversa no consumidor.

Outra questão, são as reações alérgicas, já que alguns alimentos tidos como remosos, como a carne de porco e o camarão podem causar alergias.

No entanto, a alergia alimentar só ocorre em pessoas que já possuem predisposição genética, gerando sintomas como;

  • Coceira
  • Inchaço no corpo
  • Erupções na pele
  • Urticária
  • Tontura
  • Náuseas e vômitos
  • Formigamento nos lábios
  • Dor abdominal

Já a intolerância alimentar está relacionada a problemas digestivos, os quais provocam sintomas como;

  • Inchaço e dores abdominais.
  • Vômito.
  • Diarreia.
  • Arroto.
  • Coceira na pele.
  • Azia.
  • Dor de cabeça.
  • Inchaço abdominal.

Em ambas as condições de saúde, o tratamento médico e o auxílio de um nutricionista se tornam fundamentais.

Existem peixes que ajudam na cicatrização?

Segundo a Escola Médica de Harvard, os peixes como salmão, cavala, atum e sardinha, possuem substâncias que ajudam a combater a inflamação.

Essas espécies contêm gorduras chamadas ômega 3. Estudos apontam que esses ácidos graxos possuem efeito anti-inflamatório.

Além disso, os peixes são fontes de proteínas, nutrientes que participam diretamente em todas as fases do processo de cicatrização.

Com isso, a dieta adequada pode ajudar na cicatrização e no desenvolvimento de uma nova pele.

Contudo, o modo de preparo pode tornar o alimento inflamatório. Como no caso da fritura e, por isso, o ideal é cozinhar ou assar.

Fatores que tornam os peixes impróprios para o consumo

Estudos têm comprovado fatores que podem comprometer a saúde do peixe e de quem o consome.

Um artigo intitulado Fatores Estressantes em Peixes, publicado na revista eletrônica Nutritime, analisou alguns motivos.

Em criatórios inadequados, é possível desencadear quadros de estresse graves nos animais, ao ponto de comprometer a saúde deles.

Fatores como transporte, manuseio e a contaminação da água, podem gerar uma série de problemas nos peixes.

Desse modo, por ficarem mais estressados e com a saúde debilitada, são mais suscetíveis a várias contaminações.

Com isso, é possível afirmar que peixes criados em condições inadequadas, como tanques sobrecarregados ou logística de transporte estressante, podem tornar esses animais impróprios para o consumo.

Além disso, muitos peixes são contaminados por metais pesados como chumbo, cobre e mercúrio contidos nas águas.

Por fim, a falta de higiene no manuseio dos peixes também coloca em risco a qualidade do pescado.

Outra razão, são o armazenamento e os locais de venda. Portanto, é essencial saber a procedência do pescado e buscar mercados ou peixarias com alta qualidade higiênico-sanitária.

Referências bibliográficas;

  • www.health.harvard.edu/staying-healthy/foods-that-fight-inflammation
  • http://200.128.85.17/bitstream/123456789/1756/1/TCC%20Emilly%20FINAL%20entregar%20Mariana%20Cd.pdf
  • http://www.crmariocovas.sp.gov.br/noticia.php?it=5796
  • Revista da Associação Médica Brasileira,
  • Tabus alimentares e uso de animais medicinais entre pescadores artesanais do litoral paraense.
  • Revista de Antropologia, Rev. Antropol. vol.41 n.1 São Paulo  1998

Artigos Relacionados