Peixe é remoso ou não? | Entenda.

Hum, será que peixe é remoso ou não? Afinal, pode atrapalhar o processo de cicatrização da pele?

Com presença marcante na cozinha brasileira, o peixe conquistou um lugar especial em nossas mesas. Ele é saboroso e fonte de proteínas, ácidos graxos, vitaminas e minerais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Contudo, vamos saber se ele é remoso ou não, acompanhe!

O QUE SIGNIFICA REMOSO?

Segundo o dicionário, o termo serve para descrever o alimento que faz mal ao sangue, causa coceira e inflamação na pele.

Em suma, o alimento remoso é capaz de retardar o processo de cicatrização. Por isso, é comum ser evitado após uma cirurgia ou tatuagem.

Em geral, na lista dos remosos estão a carne de porco, camarão e caranguejo.

PEIXE É REMOSO OU NÃO?

O peixe é considerado remoso quando não possui escamas no corpo, caso parecido dos bagres ou peixes de couro.

No grupo, está o mandi, viola, mapará, panga, pintado, barbado, piracatinga, piraíba, moréia surubim, jaú e jandiá.

Além desses, o pacamã, a cavalinha, filhote, peixe-serra, caçonete, piramboia, coroatá e a pirarara.

Segundo estudos feito pelo Departamento de Ecologia Unesp, a reima está associada aos peixes sem escamas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As pesquisas revelam que o peixe de couro representa 70% das menções como remoso. Em geral, a espécie possui cabeça achatada, corpo sem escamas e barbilhões na boca.

Os peixes detritívoros também são vistos assim, como no caso do cascudo, pois comem restos de plantas e animais mortos no fundo do rio.

Contudo, a classificação remoso não vem da ciência, mas sim da tradição popular, sobretudo do Norte e Nordeste.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vale dizer, que a ideia que peixes sem escamas são impuros, talvez venha de costumes judaicos inseridos em nossa população.

QUAL PEIXE NÃO É REMOSO?

  • Corvina
  • Matrinxã
  • Bacalhau
  • Manjuba
  • Anchova
  • Peixe bonito
  • Peroá
  • Traíra
  • Dourado
  • Pirarucu
  • Merluza
  • Xaréu
  • Tucunaré
  • Mero
  • Namorado
  • Xerelete e aracu.

Assim como, o pacu, dourado, curimbatá, robalo, linguado, peixe- castanha, tambaqui, salmonete, tainha, cará, arenque e lambari.

ESTUDO SOBRE O TEMA 

Um estudo feito pela Universidade Federal do Pará-UFPA, buscou uma relação entre a ingestão do peixe mapará e o aumento da inflamação no corpo.

O resultado foi que ratos que consumiram pele de mapará tiveram maior inflamação, se comparados com aqueles que ingeriram pescada branca.

Porém, deve haver mais trabalhos para confirmar esses achados, disseram os cientistas

QUAL PEIXE AJUDA NA CICATRIZAÇÃO?

 peixe é remoso ou não
Peixe Fonte/Reprodução:

Muitos peixes são fontes de nutrientes e gorduras com ação anti-inflamatória. Por exemplo, salmão, arengue, filé de merluza, truta, cavala e sardinha.

Essas espécies são ricas em proteínas, vitaminas, minerais e gorduras que combatem a inflamação no corpo.

Com isso, o consumo auxilia não apenas na cicatrização da pele, mas na saúde como todo.

No entanto, o ideal é ficar de olho no modo de preparo, pois estudos feitos pela Harvard University mostram que a fritura tem efeito inflamatório no corpo.

Por essa razão, para uma boa cicatrização, o melhor é preparar o peixe cozido ou assado.

ALERGIA E INTOLERÂNCIA

Algumas pessoas podem ter alergia ou intolerância ao peixe, mas isso só ocorre em quem tem uma tendência genética.

Portanto, se você consome peixes com frequência e nunca teve problemas, talvez não deva se preocupar.

A alergia é uma reação exagerada do sistema imune, gerando coceira, rubor, inchaço, falta de ar entre outros.

já a intolerância causa diarreia, inchaço abdominal e gases. Ao apresentar qualquer dos sintomas, busque ajuda médica.

EVITE CONTAMINAÇÃO

A contaminação do peixe pode torná-lo impróprio para o consumo. Por exemplo, quando há falta de higiene no manuseio e armazenamento inadequado.

Além disso, os rios, lagos e mares podem estar contaminados com metais pesados.

Uma pesquisa feita pela Embrapa, avaliou o risco à saúde pelo consumo de metais pesados nos peixes encontrados nas cidades de Salvador, Aracaju e Maceió.

O estudo avaliou 12 espécies nessas regiões e o nível de contaminação nos pescados.

Em Salvador, o bagre foi o segundo mais contaminado por arsênio. Em Aracaju, o atum teve maior teor de metal.

Já em Maceió, a pescada amarela e o dourado foram os campeões no quesito chumbo e cádmio.

As espécies com maiores riscos de contaminação são;

  • Cação.
  • Peixe-espada.
  • Tubarão.
  • Arraias.
  • Maruca.
  • Espadarte.
  • Peixe-agulha.

CUIDADOS COM O PEIXE

O local de venda deve ter boas condições de higiene e armazenamento adequado. Além disso, opte por peixes frescos ou congelados.

O peixe fresco tem olhos brilhantes e claros, preenchendo toda a cavidade, já o estragado, possui olhos opacos, acinzentados e tem cheiro forte.

Outro cuidado, é com as guelras, pois elas devem ser bem vermelhas e não rosadas ou cinzas.

Verifique ainda a procedência do alimento, evitando comer pescados crus ou mal cozidos.

RECEITA DE SARDINHA

Dica de como fazer sardinha cozida, é super fácil e gostoso!

Você só precisa de sardinhas frescas, sal, pimenta, alho, cebola, tomate, azeite e vinagre. Aqui vai o passo a passo:

Temperar os peixes com sal, pimenta e alho. Coloque o alimento numa panela com água fervente e deixe cozinhar por uns 15 minutos.

Enquanto isso, numa frigideira, refogue a cebola com azeite até ela ficar douradinha. Adicione o tomate e o vinagre na mistura da cebola, cozinhando até virar um molho.

Tira as sardinhas da água e insira o molho por cima. Prontinho! Agora é só curtir sua sardinha cozida!


Referências bibliográficas
  • Mercury in fish – betterhealth.vic.gov.au
  • Risks of Mercury in Fish – WSU Extension
  • https://www.sbpcnet.org.br/livro/oriximina/resumos/143.htm
  • Peces detritívoros – Animales y biología
  • https://www.scielo.br/j/ra/a/Z5Z4FCrfm9wX9rL7VPtbC9H/
  • Quick-start guide to an anti‑inflammation diet – Harvard Health
  • Tabus alimentares em medicina – https://repositorio.ufpa.br
  • Foods that fight inflammation – Harvard Health

Artigos Relacionados

Deixe um comentário