Omelete Engorda? | Mocinho ou vilão da dieta? Veja e Entenda!

Seja qual for a forma de preparo, mexido, cozido ou frito, o omelete é um prato que agrada a todos, embora tão versátil e saboroso, será que cabe na dieta?

Neste artigo, vamos explorar o tema e saber se omelete engorda ou ajuda na perda de peso.

Se você é fã do alimento, provavelmente já ficou em dúvida. A seguir, veja o que as pesquisas dizem sobre os efeitos dos ovos na dieta..

Omelete engorda ou ajuda a emagrecer?

Dieta saudável e boas escolhas alimentares caminham lado a lado, o omelete também entra neste contexto.

De modo geral, comer omelete não engorda dependendo de como e o quanto você irá consumi-lo.

Na verdade, este prato pode fazer parte de uma dieta balanceada e até ser um aliado no emagrecimento, isso porque vários estudos demonstram os benefícios dos ovos na perda de peso.

Estudos sobre consumo de ovos e a perda de peso

Pesquisadores do Departamento de Psicologia, Saint Louis University, Missouri, EUA, concluíram que comer ovos no café da manhã ao invés de biscoitos, é a melhor escolha para o emagrecimento.

Os cientistas recrutaram trinta mulheres obesas para participar de um estudo cruzado e randomizado.

As participantes foram divididas em dois grupos, sendo que um grupo consumiu um café da manhã à base de ovos, e o outro grupo comeu rosquinhas, seguido de um almoço 3,5 horas depois, com duas semanas de intervalo.

O resultado da pesquisa mostrou que as mulheres que tiveram o café da manhã à base de ovos sentiram maior saciedade e ainda ingeriram menos calorias durante o dia todo.

Outro estudo feito por três universidades americanas, separou homens e mulheres com idades entre 25 a 60 anos em dois grupos.

Assim como o primeiro estudo, um grupo recebeu ovos mexidos no café da manhã e o segundo rosquinhas.

Em ambos os grupos também foi sugerido reduzir a ingestão de gorduras e um déficit de 1000 calorias por dia.

Após 8 semanas, os participantes que consumiram ovos mexidos no café da manhã, tiveram perda de peso 65% maior, e uma redução de 34% maior na circunferência da cintura.

Que o omelete é uma boa opção para dieta, você já sabe, mas para não engordar e ser um aliado na perda de peso, é preciso dar atenção na hora de escolher como prepará-lo.

Como preparar o omelete de forma mais saudável!

Os ovos são pobres em calorias e ricos em proteínas, as quais contribuem para o aumento no metabolismo e saciedade.

As proteínas aumentam a saciedade devido a produzirem um maior estímulo hormonal. 

Além disso, o corpo gasta mais calorias para digerir proteínas do que com os carboidratos de um espaguete, por exemplo.

Embora os ovos sejam boas fontes de proteínas para a dieta, é essencial considerar o modo de preparo.

Segundo a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, em um ovo de galinha inteiro cozido, há 146 calorias, mas quando frito, esse número salta para 240 kcal.

Por isso, o omelete preparado frito é mais calórico e requer maior moderação no consumo para não sabotar a dieta.

Sendo assim, é uma boa ideia optar pelo omelete de forno ou preparado cozido, que além de saborosos possuem menos calorias.

Já utilizar uma frigideira antiaderente e com adição de pouco de azeite de oliva aos ovos, também garante menos gorduras na refeição.

Avalie os recheios e acompanhamentos do omelete

Outros motivos pelos quais o omelete engorda, é se é recheado com queijos gordurosos e embutidos como presunto, mortadela, salame, bacon e tem como acompanhamentos preparações calóricas.

E acredite, um omelete caseiro de presunto e queijo pode chegar a 527 calorias. Podemos ver que o recheio além de aumentar o valor calórico, eleva também as gorduras totais e o sódio da preparação.

Portanto, o omelete muito gorduroso e com recheios calóricos pode engordar, assim é melhor consumi-lo eventualmente, por isso, boas opções para a dieta são as versões mais leves.

O segredo para o omelete ser um aliado na perda de peso, está na escolha do recheio, a quantidade, e claro, todo o balanceamento da alimentação.

Mas, quais são as opções mais saudáveis?

O omelete feito apenas da clara do ovo tem menor teor de gorduras e calorias, bem como é mais rico em proteínas que ajudam a controlar a fome.

Combinar o prato com vegetais é mais saudável que com carnes processadas, por isso, inclua tomate, abobrinha, pimentão, brócolis, milho ou ervilha.

Para facilitar, trouxemos sugestões de omelete light para deixar seu dia-a-dia ainda mais leve, e incorporá-lo à dieta sem culpa! Vamos lá?

Receita de Omelete Light para dieta

Ingredientes:

  • 3 colheres (sopa) de ervilha
  • 1/2 Cebola picada em fatias
  • 1/2 Cenoura picada em cubinhos
  • 4 ovos grandes
  • 1/2 Abobrinha picada
  • Azeite de oliva (1 colher de sopa)
  • 2 colheres (sopa) Atum light 
  • Salsicha a gosto
  • 3 colheres (sopa) milho verde escorrido
  •  Sal a gosto

Preparo:

  • Bata os ovos e reserve em um recipiente.
  • Aqueça o azeite numa frigideira antiaderente, em seguida, coloque a cebola e deixe dourar.
  • O próximo passo, é adicionar a cenoura, as abobrinhas e as ervilhas com o milho.
  • Refogue com os temperos e cozinhe com a frigideira tampada por aproximadamente 5 minutos.
  • Após os ingredientes estarem cozidos, adicione o atum e os ovos.
  • Deixe cozinhar em fogo baixo com a frigideira tampada, até dourar os dois lados.
  • Sirva e bom apetite!

Pepino com ovo faz?

Pode comer ovos todos os dias? Será que faz mal?

De tempos em tempos, o ovo principal ingrediente do omelete vira vilão da alimentação. Isso devido a gema a qual se atribui o aumento do chamado colesterol ruim (LDL)

A boa notícia é que vários estudos absolveram o ovo do banco dos réus.

As pesquisas demonstram que o colesterol no ovo ou em outros alimentos naturais, tem baixo risco à saúde.

Um estudo Chines, publicado em 2018, analisou meio milhão de adultos e concluiu que ingerir ovos estava associado a um menor risco de doenças cardíacas e AVC, (Acidente vascular cerebral)

A ingestão de 1 ovo por dia, foi associada a um risco de 18% menor de morte por doenças cardíacas e 28% menos chance de morte por acidente vascular cerebral, em comparação com aqueles que não comeram ovos.

Ao contrário do que acontece com a alta ingestão das gorduras saturadas, em maiores quantidades no bacon, salsicha, presunto, linguiça, biscoitos recheados e fast foods.

Em uma revisão de 40 estudos em 2015, não foi encontrada nenhuma evidência conclusiva sobre a relação entre o colesterol alimentar e as doenças cardíacas.

Sabendo disso, vale o equilíbrio no consumo de ovos dentro de uma alimentação balanceada, para obter todos seus benefícios em pratos como o omelete.

O alimento pode ser consumido diariamente se a ingestão for feita de forma equilibrada e dentro de uma dieta variada.

E aí, gostou da nossa matéria? Nós esperamos que sim. Aproveite para incluir mais alimentos naturais na sua dieta e desfrutar de uma vida ainda mais saudável!


Revisão Marianne Rocha Nutricionista

Mestra em Ciências – FSP/USP Pós-graduanda em Nutrição Esportiva – CEFIT

Artigos Relacionados