Diabéticos podem comer pão de queijo? | Veja e Entenda

O diabetes é uma doença crônica a qual se caracteriza pela elevação da glicose no sangue

Muito se questiona a respeito das regras e orientações nutricionais a serem seguidas pelos diabéticos.

Entre os questionamentos está a dúvida, diabético pode ou não comer pão de queijo?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A seguir, conheça todos os detalhes da doença e como esse quitute pode impactar nos níveis de glicose no corpo.

Sobre a condição

O diabetes quando acompanhado da forma incorreta pode ocasionar consequências graves.

A condição envolve o paciente e também aqueles que convivem com ele, dado que resulta em diversas mudanças de hábitos.

A principal alteração na vida do diabético está relacionada à alimentação, que quando adequada é possível ter uma vida saudável.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A doença precisa ser acompanhada por um médico endocrinologista e com auxílio de um nutrólogo.

A dieta e o tratamento mudam de acordo com o diabetes, que se difere entre o tipo 1, tipo 2 e o diabetes gestacional.

Afinal, diabético pode comer pão de queijo?

Quem tem diabetes não precisa banir o pão de queijo totalmente da dieta, no entanto, ele exige cuidados, pois é rico em carboidratos e gorduras.

Este quitute é feito com polvilho, queijo, leite e óleo, por isso, é pobre em fibras alimentares.

Tudo isso faz do pão de queijo um alimento que apresenta um alto índice glicêmico, ou seja, ele pode elevar rapidamente a glicose no sangue.

Por essa razão, o consumo em excesso pode causar hiperglicemia em pessoas diabéticas, sendo necessário controlar a quantidade e a frequência na dieta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sendo assim, por mais tentador que pareça, o consumo do pão de queijo deve ser feito com moderação e de maneira esporádica.

Além de tudo, esse alimento tem baixo valor nutricional, isto é, ele tem alta densidade calórica e não oferece muitos nutrientes para o corpo.

Então, não é indicado que o pão de queijo faça parte do seu dia a dia, pois poderá impactar negativamente em seus níveis de glicose.

Entretanto, com o diabetes controlado, é possível consumir esse alimento de vez em quando, mantendo sempre a moderação.

Para mais informações, consulte seu médico e nutricionista e siga as orientações desses profissionais.

Cuidados na alimentação dos diabéticos

Embora hoje falamos se diabético pode ou não comer pão de queijo, nessa condição, deve-se limitar ou evitar uma série de outros alimentos.

Quando se discute sobre quais deles devem ser restritos na dieta, de fato, logo surgem a presença dos doces.

É importante lembrar, que eles devem ser evitados, devido ao alto teor de açúcares, os quais são convertidos em glicose rapidamente no organismo. 

Contudo, não são apenas os doces que são fontes desses açúcares prejudiciais aos diabéticos.

As massas em geral, por exemplo, o macarrão e itens de padaria, como pães e bolos também são, portanto, o mesmo controle com esses deve ser feito.

Entenda: Tipos de diabetes x Alimentação

O diabetes tipo 1 corresponde a cerca de 5% a 10% dos casos no país, geralmente ocorre antes dos 30 anos e exige o uso de insulina no tratamento.

Já o do tipo 2, é o mais comum, envolve fatores genéticos e ambientais, tal como sedentarismo e obesidade, estudos comprovam também a relação entre a patologia com a alimentação.

Observou-se que, a alteração na dieta dos brasileiros ao longo dos últimos anos, impactou diretamente nos números de casos descobertos da doença, principalmente do tipo 2.

Os principais fatores de mudança abarcam:

  1. A substituição de alimentos in natura pelos industrializados;
  2. O consumo de ácidos graxos saturados, presentes em fast-foods, embutidos e margarinas.
  3. Alimentação rica em açúcar e carboidratos refinados

Por fim, a alimentação do diabético deve ser equilibrada e visar o consumo de alimentos naturais e ricos em fibras.

É importante atentar-se aos efeitos que uma alimentação inadequada pode resultar, portanto, é recomendado buscar auxílio de nutricionista.


Marianne Rocha – Nutricionista

Revisão: Marianne Rocha. Nutricionista Mestra em Ciências – FSP/USP Pós-graduanda em Nutrição Esportiva – CEFIT

Veja também!