Pode comer manga menstruada? Veja a explicação

pode comer manga menstruada

Neste artigo vamos descobrir se pode comer manga menstruada ou o consumo da frutinha está liberado.

Desde a infância ouvimos de nossos país ou avós sobre os perigos de consumir alguns alimentos quando estamos menstruadas.

Por exemplo, uma dúvida comum é se pode ou não comer manga menstruada, afinal, o consumo da fruta é prejudicial?

Quando fazemos esse recorte, é possível observar muitos mitos, onde a manga vira e mexe é colocada como campeã na lista dos alimentos proibidos.

A existência de tal insegurança, leva a muitas mulheres evitar o consumo da fruta por medo de prejudicar a saúde.

A fim de derrubar essa dúvida, hoje vamos juntos desvendar a resposta com ajuda da nutricionista Michelle Santos.

Comer manga menstruada faz mal?

Mito: A verdade é que não existe nenhum estudo científico que comprove que não se pode comer manga durante a menstruação, seja ela madura ou verde, ou seja, esta é uma crença popular.

Segundo a nutricionista, a manga oferece muitos benefícios para a saúde, ela contribui para o funcionamento intestinal devido a ser rica em fibras solúveis.

Além disso, a fruta ajuda a reforçar o sistema imunológico pela quantidade de vitaminas, minerais e antioxidantes no alimento.

O que acontece, é que antes e durante a menstruação, alguns alimentos podem aumentar os sintomas, como retenção de líquidos e ansiedade, explica a nutricionista.

E portanto, o ideal é limitar o consumo de certos alimentos nessa fase, como por exemplo;

  • Café;
  • Embutidos;
  • Álcool;
  • Açúcar refinado.

Embora haja inúmeros estudos no âmbito da ciência nutricional, não há comprovação científica que comer manga durante a menstruação cause algum dano, ressalta Michelle.

Na prática, o consumo da fruta é bastante saudável devido ser fonte de vários nutrientes essenciais para o corpo.

Desse modo, não há problemas em comer manga estando menstruada, pois a proibição no consumo trata-se de um MITO.

Quando a manga pode fazer mal?

Embora essa fruta seja inofensiva para a maioria da população, é possível encontrar um grupo de pessoas que não se dão muito bem com o alimento.

Esse grupo é constituído por alérgicos. Sendo assim, a nutricionista Michelle Santos, explica que a manga realmente não pode ser consumida por eles.

Além disso, para quem sofre de refluxo gastroesofágico, o ideal é nunca exagerar com a frutinha, pois poderá sobrecarregar o estômago e causar dor.

Quais os benefícios da ingestão da manga?

Como já mencionado, a manga é uma ótima fonte de fibras, minerais e vitaminas. Porém, para ser mais específico, a fruta é riquíssima em:

  • Betacaroteno: auxilia no combate aos radicais livres e a manter o nível de anticorpos altos;
  • Vitamina A: mantém a saúde dos olhos e renova as células dos tecidos;
  • Vitamina C: auxilia na manutenção do colágeno, substância essencial a formação dos tecidos da pele, ossos, dentes etc;
  • Fósforo: ajuda na formação da membrana plasmática, ossos, dentes e na contração muscular;
  • Ferro: auxilia na formação dos glóbulos vermelhos, partículas do sangue necessárias para o transporte de oxigênio;
  • Cálcio: ajuda na formação dos ossos.

De onde surgiu o mito?

De acordo com o antropólogo Raymundo Heraldo, os mitos que envolvem a manga se encontram no fato da fruta ser considerada um alimento reimoso. Alimentos enquadrados nessa categoria são ditos oleosos demais.

Dito isso, em algumas situações e combinações, comer manga pode ser um perigo, de acordo com o mito, embora não haja comprovação científica dessas situações.

Nesse sentido, mesmo que não haja comprovação, as manifestações físicas de algumas pessoas ao ingerir esses alimentos podem comprovar o mito, auxiliando, assim, a sua perpetuação.

Conclusão

O consumo da manga é algo recomendado pelos nutricionistas, visto que a fruta não causa nenhum dano, exceto em alérgicos.

Entretanto, alguns mitos encorajam a não consumir a fruta em determinadas situações, como no caso da menstruação.

De modo geral, esse mito não tem nenhuma fundamentação científica, e portanto, a ingestão do alimento não deve ser visto como prejudicial.


Artigos Relacionados