Açaí é Remoso? | Dieta pós tatuagem e cirurgia

Neste artigo, vamos saber se o açaí é remoso ou não e como consumir de forma saudável.

O açaí está super na moda, além de saborosa, a frutinha contém nutrientes essenciais para o nosso corpo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Porém, quem fez tatuagem ou cirurgia tem dúvidas se o consumo atrapalha ou não a cicatrização da pele.

A seguir, saiba mais como a fruta pode impactar em nossa saúde.

Sobre o açaí

Antes da questão se o açaí é remoso ou não, vamos conhecer mais sobre essa fruta tão saborosa e popular?

O açaí é um fruto do açaizeiro, uma palmeira nativa da bacia amazônica que pode atingir de 12 a 20 metros de altura 

A frutinha de cor roxa é famosa não apenas pelo seu sabor, mas também pelo alto teor de vitaminas e minerais.

O nome científico do açaí é Euterpe Oleracea Mart.

Afinal, açaí é remoso?

Não, o açaí não é remoso, pois é rico em vitaminas e minerais, já a cor roxa da fruta indica a presença de antioxidantes que possuem ação anti-inflamatória no corpo.

Segundo o Journal of Agricultural and Food Chemistry, além da atividade anti-inflamatória, os antioxidantes no açaí ainda ajudam a prevenir algumas doenças.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Dr Alex Schauss, membro da pesquisa, ressalta que o estudo oferece uma melhor compreensão das propriedades benéficas do açaí.

De acordo com a pesquisa, as antocianinas são os antioxidantes mais encontrados nessa fruta.

Como resultado, um litro de açaí possui 33 vezes mais antocianinas do que um litro de vinho tinto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As antocianinas é um poderoso antioxidante que confere a cor roxa ao açaí e promove ação anticancerígena, antimicrobiana e anti-inflamatória no corpo.

O estudo concluiu que os compostos presentes no açaí combatem a inflamação e ajudam na cicatrização da pele.

Além de tudo, o fruto é fonte de gorduras boas para o coração, como as gorduras monoinsaturadas.

Ao contrário do que muita gente pensa, o açaí não é remoso, devido ao seu poder antioxidante, a fruta ajuda prevenir doenças e combate a inflamação.

Contudo, o açaí não deve ser consumido por pessoas alérgicas ou intolerantes a quaisquer componentes no fruto.

Consumindo o açaí da forma correta!

Agora que descobrimos que o açaí não é remoso, vamos saber como consumi-lo de maneira mais saudável?

O ideal para aproveitar melhor as propriedades benéficas do açaí, é evitar o alimento industrializado.

Em geral, no açaí vendido nas lanchonetes e sorveterias, há muito açúcar, xarope de guaraná, conservantes artificiais e emulsificantes.

Porém, numa dieta anti-inflamatória é preciso trocar essas substâncias por opções mais saudáveis!

Portanto, o indicado é consumir o açaí do jeito natural, (sem adição de muito açúcar, xaropes ou conservantes)

Além disso, para uma boa cicatrização é essencial ingerir frutas ricas em vitamina C.

Frutas que ajudam na cicatrização!

Neste artigo falamos se o açaí é remoso ou não, porém há outras frutas que também ajudam na cicatrização da pele.

O consumo de frutas ricas em vitamina C é importante para pessoas com ferimento no corpo.

A vitamina C ajuda a fortalecer o sistema imunológico e evita infecções por bactérias ou mesmo vírus.

Essa vitamina ainda atua na produção de colágeno, uma proteína importante que auxilia na regeneração da pele.

Com tantos benefícios é fácil ficar curioso sobre quais frutas são ricas em vitamina C, não é mesmo?

A seguir, confira uma tabela com frutas ricas em vitamina C , segundo a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos.

Valores referentes a 100 g.

AlimentoVitamina C
Goiaba vermelha com casca 80,6 mg
Acerola941,4 mg
Tangerina48,8 mg
Abacaxi34,6 mg
Laranja-pera53,7 mg
Caju219,3 mg
kiwi70,8 mg
Fonte: TACO – Tabela Brasileira de Composição de Alimentos

A ciência e os alimentos remosos

O termo remoso que tanto ouvimos falar, é uma expressão antiga ligada à sabedoria popular.

O termo define alimentos que supostamente são inflamatórios e prejudiciais em certas condições de saúde.

Embora não existam evidências científicas que comprovem as reações adversas no consumo desses alimentos, algumas hipóteses são levantadas para explicar a ação deles.

É o que explicou a nutricionista, Maria Lúcia Barreto Sá, da Universidade Estadual do Ceará,

“O que as pessoas classificam como remoso, talvez seja um alergênico, que provoca reações somente em certas pessoas, mais sérias em pacientes alérgicos.”

Isto é, esses alimentos não são prejudiciais a qualquer pessoa, mas somente para aqueles alérgicos.

Referências Bibliográficas.


Marianne Rocha – Nutricionista

Revisão: Marianne Rocha. Nutricionista Mestra em Ciências – FSP/USP Pós-graduanda em Nutrição Esportiva – CEFIT

Artigos Relacionados