Caranguejo é remoso? | Confira alguns cuidados.

caranguejo é remoso

Para quem gosta de comida com gostinho de praia, o caranguejo é uma das opções preferidas.

Porém, existe uma dúvida, será que caranguejo é remoso ou não? Para dar fim a essa questão, ouvimos a opinião da nutricionista Michelle Santos.

Além disso, reunimos as principais informações sobre os cuidados necessários para o consumo seguro do crustáceo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Mas antes, vamos entender o que são os alimentos remosos? Confira na íntegra.

Sobre os alimentos remosos.

Os alimentos são considerados remosos quando possuem substâncias que favorecem a inflamação no organismo.

Por isso, quem possui lesões na pele, seja por intervenções cirúrgicas ou por uma tatuagem, precisa evitá-los para não atrapalhar a cicatrização.

Em geral, os alimentos remosos são ricos em proteínas e gorduras, um exemplo é a carne de porco e o camarão.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além disso, outros alimentos estão passíveis de classificação, como os embutidos, doces e os fast-food.

Vale destacar, que o termo remoso não é uma classificação científica, mas sim uma antiga expressão popular.

No geral, ela serve para definir o alimento que poderá causar inflamação e coceira na pele.

O caranguejo é remoso? Mito ou verdade?

Verdade, explica a nutricionista Michelle Santos, na lista dos alimentos remosos estão o caranguejo, a carne de porco, camarão e moluscos.

Segundo a especialista, esses alimentos estão associados ao maior risco de causar alergia na pele, por isso são evitados.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além disso, Michelle conta que após uma cirurgia ou tatuagem, o recomendado é evitar as frituras por dificultar o processo de digestão.

A dica de ordem nestas condições, é manter uma dieta nutritiva para auxiliar na rápida regeneração do tecido, evitando cicatrizes e queloides.

Segundo Michelle Santos, para uma boa cicatrização é essencial consumir alimentos nutritivos e ricos em ômega 3.

Esses ácidos graxos estão mais presentes na castanha do pará, salmão, sardinha, azeite, linhaça e chia, explica a expert.

Além disso, é importante consumir minerais como zinco, selênio e ferro, pois são muito importantes durante o processo de cicatrização da pele.

Do mesmo modo, é indicado ingerir alimentos ricos em vitamina C, pois o nutriente ajuda na formação de colágeno, o qual é essencial para a cicatrização.

A vitamina C está mais presente em alimentos como a laranja, limão, acerola, caju e goiaba.

Caranguejo: cuidados na alimentação

Em geral, o camarão, a lagosta e o caranguejo possuem maior risco de gerar alergias em determinados indivíduos.

Contudo, a alergia a crustáceos não ocorre em todas as pessoas, porém estes alimentos são considerados potencialmente alergênicos.

Segundo a Associação Brasileira de Nutrição, os alimentos como os frutos do mar, amendoim, leite e o ovo, estão associados ao maior número de reações alérgicas.

Vale dizer, que a alergia alimentar causa sintomas graves e deve ter o acompanhamento imediato de um médico.

No geral, ela causa diversos sintomas, como falta de ar, coceira, inchaço, vermelhidão, erupções cutâneas entre outros.

Por isso, se após a ingestão do alimento ocorrer qualquer dos sintomas citados, o mais indicado é buscar a ajuda de um médico.

O caranguejo é rico em sódio

Assim como outros frutos do mar, o caranguejo é rico em sódio e, por isso, o consumo deve ser limitado em certas condições de saúde.

Segundo a TACO, Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, em 100 gramas de caranguejo cozido, há 360,1 mg de sódio.

Sendo assim, pessoas com doenças cardiovasculares graves devem consumir sempre com moderação.

O mesmo cuidado serve para quem sofre de doença renal onde o consumo de sódio também deve ser limitado.

Cuidados com o preparo e armazenamento

Os peixes e os frutos do mar estão mais passíveis a contaminações por metais pesados e microrganismos.

Por essa razão, o ideal é nunca ingeri-los crus ou mal passados, pois isso pode levar a uma intoxicação alimentar, (condição grave)

Segundo uma publicação da Universidade de Rhode Island, nos EUA, os frutos do mar devem ser armazenados a uma temperatura de – 28 °C.

Além disso, o ideal é nunca descongelar em temperatura ambiente ou com água. No caso, você pode optar em usar o micro-ondas para descongelar.

Este cuidado é necessário porque os frutos do mar são altamente perecíveis e estragam com o tempo muito rápido.

Já quando for comprá-los, a dica é observar se o alimento está fresco e sem apresentar cheiro forte.

Desconfie quando o crustáceo apresenta viscosidade ou se as partes se soltam facilmente ao toque.

Conclusão

O caranguejo e outros crustáceos são considerados remosos e evitados por quem se recupera de uma cirurgia ou tatuagem.

Além do mais, vimos que esses alimentos não devem ser ingeridos por pessoas alérgicas.

Já o alto teor de sódio coloca os frutos do mar na lista de alimentos que devem ser ingeridos com moderação.

Por outro lado, eles também são fontes de nutrientes e podem estar na dieta quando não há restrição no consumo.

Consultora: nutricionista MICHELLE CRISTINA LEITE DOS SANTOS – CRN 28536


Artigos Relacionados